Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A profecia (continuação).

por naomedeemouvidos, em 16.12.18

(início)

    Enquanto ali estava, no topo de uma das colinas sobranceira à cidade, contemplou o pequeno enclave murado, embalado pelo calor suave e acobreado do pôr-do-sol. O cansaço da viagem, os dias imensos de abnegação, as privações impostas pela dura travessia em extremada devoção, tudo pesou demasiado e sucumbiu, enfim, em agitado pranto ao inesperado assombro. Chorou em consentido silêncio, sem saber por quanto tempo. Tão-pouco soube se tinham passado apenas algumas horas ou, ao invés, ter-se-iam sucedido os dias, imperturbados, alheios à sua fatídica circunstância. Soube, apenas, que estava incumbido de levar a cabo a ominosa missão, para a qual se exigia a firmeza da sua virtude, a pureza do seu credo, a grandeza da sua fé.

    Levantou-se, resoluto, não recordando como caíra, adivinhando-se desfalecido em transe e em tormento.

   Tanto não tardou no regresso. Estugando o passo e a vontade, depressa retomou o caminho de casa, sem mais delongas.

    De volta à recolhida austeridade dos aposentos, tomou a pena com urgência e iniciou a anunciada lista, desfiando as cento e doze vidas, cento e doze prenunciadas vindas, Ex castro Tiberis, Inimicus expulsus, Ex magnitudine montis, Abbas suburanus,.. Ia prestando atenção aos velados sussurros que agitavam a luz bruxuleante das velas, para que nenhuma identidade se desvanecesse, nenhuma se confundisse, até que, finalmente, os sussurros cessaram, sedebit Petrus Romanus, já as velas eram cera morta, derramada em martírio sobre a mesa e sobre o soalho gasto, enquanto o lume da lareira definhava  em apaziguados estalidos, carpindo as mágoas do piedoso arcebispo.

publicado às 11:31


“Nada na vida deve ser temido; apenas compreendido.” Marie Curie.

Layout

Gaffe


naomedeemouvidos@gmail.com


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.