Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Deus, Pátria e Bolsonaro.

por naomedeemouvidos, em 26.02.19

    Há uns meses, foi notícia a deputada brasileira Ana Caroline Campagnolo. Motivo? O apelo que fez, publicamente, para que os alunos filmassem as aulas de professores que revelassem discursos "político-partidários ou ideológicos", uma forma pouco velada de dizer denunciem todos os professores que ousem criticar esse messias, literalmente, dos tempos modernos, Jair Bolsonaro, o santo presidente do Brasil. "Na semana do dia 29 de outubro, muitos professores doutrinadores estarão inconformados e revoltados. Muitos não conseguirão disfarçar sua ira", assim rezava a deputada, logo a seguir à eleição do seu amado presidente. Daí até a desembaraçada menina abrir um denunciário online, para acolher os danosos, e danados, pecados desses reles doutrinadores, pouco éticos e incompetentes, foi um clique no sítio habitual. Aliás, “é só comportar direitinho que não precisa ter medo, cidadão” (não sei se será só a mim que isto causa calafrios...). Caso contrário, já sabe. E salvaguarda-se, como não?, a identidade do arrojado e casto denunciante.

brasil.PNG

aqui

       Entretanto, a Justiça terá determinado a remoção da publicação do apelo na página de Facebook da senhora deputada do PSL, e a intrépida defensora da liberdade dos desde que mui adequados costumes até chegou a ver as suas contas reprovadas

 

    Ora, suponho que para garantir que o cidadão continue a portar-se direitinho, o Governo braileiro pretende, agora, pôr os alunos, nas escolas, a cantar o hino e a ler uma espécie de oração que termina com o todo-poderoso, conspícuo, mais-que-conhecido slogan “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!”. Afinal, é de pequenino que se torce o pepino. Não se dirá assim, por lá – não faço ideia – mas, sendo o objectivo exterminar problemas, ou professores incómodos, também não deve fazer grande diferença. E, porque um país grande em qualquer parte da América há-de ser, por força, um país em perfeita sintonia, também se aconselha que o acto solene – ou, pelo menos, parte dele – seja filmado por um representante da escola e o vídeo enviado, com os dados da escola. Aleluia. Qualquer rasgo de semelhança com alguma suposta ditadura é pura maledicência de gente desordeira, impura e completamente ignorante.

brasil 2.PNG

 

publicado às 14:30

anúncio.PNG

aqui

 

 

“A mulher dita feminista – a que integra as “tribos”, a que se deslumbra com as capas de revistas, a que se diz emancipada, a que não precisa de relações estáveis, a que não quer engravidar para não deformar o corpo nem perder oportunidades profissionais, a que frequentemente foge da elegância no vestir e no estar – optou por se objectificar, pretendendo ser apenas fonte de desejo em relações casuais, rejeitando todo o seu potencial feminino, matrimonial e maternal”.

 

    Assim começa um artigo de opinião escrito por uma mulher, médica, anti-feminista, e publicado no passado dia 24 de Fevereiro, no jornal online Observador. Juro. É só ir lá ler.

    Se fosse dia 1 de Abril, o dito artigo de opinião poderia ser encarado como a mentira da praxe com que os chamados meios de comunicação também gostam de nos entreter nessa apreciada (por muitos) data. Não é. Mas, por outro lado, estamos perto do Carnaval e a época também se presta a piadas, palhaçadas e outro tanto de coisas que temos tendência a desprezar durante o resto do ano.

    A doutora Joana Bento Rodrigues é de opinião que as três características mais belas da mulher são, precisamente, o seu potencial feminino, matrimonial e maternal. Nas suas eruditas palavras, a mulher gosta de se arranjar, de se sentir bonita, de ter a casa arranjada e bem decorada, de bem receber, de assumir com alma as tarefas domésticas, de se sentir útil e ser a retaguarda familiar de que o marido precisa para ser profissionalmente bem sucedido e, por norma, não se incomoda em ter menos rendimentos do que o marido, pelo contrário!, até porque aprecia – essa mulher que a doutora Joana Bento Rodrigues conhece – a ideia de ter casado bem.

    Por outro lado, a doutora Joana Bento Rodrigues, considera que apenas na maternidade a mulher encontra a verdadeira realização. E, mesmo quando não é mãe, essa tal mulher é a melhor tia do mundo, a melhor madrinha do mundo. Ámen.

    Eu não sei bem com que tipo de mulheres é que a cândida senhora anda a tomar chá. É, contudo, importante referir que a doutora Joana Bento Rodrigues julga que as mulheres são possuidoras de enorme inteligência social e emocional, coisa que, ao lê-la, poderá ficar em dúvida. Não. As mulheres são inteligentíssimas. Tanto que, no nosso País, a representatividade feminina na medicina e na advocacia já ultrapassa a masculina. E isso, na opinião da douta senhora, é preocupante! Eu acrescentaria aviltante! Tanto que defendo que a doutora deveria reconsiderar e dar o seu lugar a um homem, para minimizar essa tremenda preocupação, quiça, essa abominável injustiça. Imagine-se! Anda por aí, quem sabe, uma ou outra rapariga que queira casar bem - coisa que nem as minhas avós (as duas, malvadas) foram capazes de me ensinar o que seria - e o desgraçado do noivo não arranja emprego, porque os postos de trabalho estão apinhados de mulheres preocupadas em esbanjar, sem pudor, todo seu enorme potencial feminino.  

   

    No fim de tudo, ocorre-me que, talvez, a doutora Joana Bento Rodrigues, seja do tempo daquele outro senhor, o Neto de Moura. Devem ter estudado os dois pelo Código Penal de 1886. Eu sei que a senhora é médica, não é advogada, mas, a comunhão de ideias é bastante parecida e não deve ser dada a detalhes de importância menor. Aliás, acho, até, que podiam juntar-se a essa outra sumidade social e intelectual, a psicóloga Maria José Vilaça, e, de uma penada, arrumava-se com uma data de problemas sociais…Isso, ou obrigar as meninas a vestir rosa.

publicado às 11:40

Posso ficar com a biblioteca? S'il te plaît...?

por naomedeemouvidos, em 26.02.19

Choupette.PNG

 

Karl Lagerfeld morreu e deixou uma fortuna de 200 milhões de dólares, mais coisa menos coisa, ou seja, nada porque valha a pena perder o sono, até porque, parece que "há suficiente para todos". Na verdade, todos não serão, mas, dá-se o caso de, entre esses poucos, haver uma gata, Choupette de sua imensa graça, ela própria uma estrela com 264 mil seguidores no Instagram. A pequena, branca e delicada bichana - que há quem considere a metáfora perfeita à misantropia do criador agora falecido -  arrisca-se a fazer parte da lista de herdeiros.

Lagerfeld (também) adorava ler. Saber. Conhecer. «J'aime tout savoir. Je suis une espèce de concierge universel, pas un intellectuel». Entre os atributos da gatinha Choupette imagino que não esteja a mesma capacidade do seu dono e mentor de apreciar livros e, por isso, eu gostava tanto de lhe pedir se me deixa ficar com a biblioteca...

 

lagerfeld.PNG

aqui

 

publicado às 10:08



“Nada na vida deve ser temido; apenas compreendido.” Marie Curie.

É só o que eu acho...

"A idade não traz só rugas e cabelos brancos." E, como digo ao meu filho, "Nem sempre, nem nunca."

Sou mulher, pelo que, metade(?) do mundo não me compreende. Tenho opinião sobre tudo e mais alguma coisa, pelo que, na maioria das vezes estou errada. E escrevo de acordo com a antiga ortografia, pelo que, não me dêem ouvidos...

Eu Sou Assim

Idade - Tem dias.

Estado Civil - Muito bem casada.

Cor preferida - Cor de burro quando foge.

O meu maior feito - O meu filho.

O que sou - Devo-o aos meus pais, que me ensinaram o que realmente importa.

Irmãos - Uma, que vale por muitas, e um sobrinho lindo.

Importante na vida - Saber vivê-la, junto dos amigos e da família.

Imprescindível na bagagem de férias - Livros.

Saúde - Um bem precioso.

Dinheiro - Para tratar com respeito.


Layout

Gaffe


Arquivo



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.