Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Tenho uma relação de amor-ódio com as caixas de comentários de algumas publicações. Com algumas daquelas que ainda resistem, diga-se, porque muitos jornais e revistas on-line, como o Público, o Expresso ou a Visão, acabaram com essa espécie de palco de bullying virtual, onde uma assustadora fatia de comentadores coléricos se diverte (imagino eu) a vomitar ódios e insultos contra tudo e contra todos, verdadeiros hooligans do vernáculo mais descarado e despropositado.

O delírio é tal que basta ler duas linhas do que expelem esses ditos “comentadores” para perceber que, na maior parte das vezes, nem se deram ao trabalho de ler o que se propõem “comentar”. Para esta turba maledicente é suficiente olhar para o nome que assina a crónica (ou de quem assina um outro comentário) para dar largas à imaginação e mergulhar numa orgia de enxovalhos, capaz de enervar o escritor mais bonançoso. A crónica mais inócua sobre o tema mais inofensivo é capaz de desencadear a mais indignada das reacções destes verdadeiros cruzados da violência verbal, de modo que, o que começou como uma tentativa de promover o debate, a troca de ideias, a argumentação em torno do conhecimento nas suas diferentes formas entre quem opina e quem lê e crítica, rapidamente se transformou num antro de degradantes ataques pessoais. A tentativa mais bem-intencionada de promover discussões construtivas entre os diferentes interlocutores cai rapidamente para o chamado whataboutery, termo que só há pouco conheci, mas que define na perfeição o exercício a que muitos se dedicam: se eu escrevo um artigo sobre “árvores de fruto”, porque é que não falo de “ervas aromáticas”?, tenho alguma coisa contra as ervas aromáticas?, vê-se logo que sou xenófoba (ah, pensavam que a palavra não se aplicava, não era, vão lá ler comentários…)!

A psicologia é capaz de explicar, pelo menos, em parte a necessidade de alguém vir despejar, a coberto do anonimato ou, pelo menos, sem mostrar a cara, injúrias a torto e a direito. Deve funcionar como um escape, digo eu. Mas, numa coisa, nós portugueses, aparentemente, somos mais justos. Parece que insultamos igualmente e com a mesma intensidade, homens e mulheres, religiosos e não religiosos, brancos e pretos, homossexuais e heterossexuais, nacionais e estrangeiros, novos e velhos, enfim, no que toca à ofensa, somos do mais igualitário que há!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


26 comentários

Imagem de perfil

De HD a 11.08.2017 às 21:01

Pouco se aprende nestas caixas de comentários... -.-
Imagem de perfil

De Marta Elle a 11.08.2017 às 22:30

Costumo ler essas caixas de comentários para rir um bocado. É com cada pérola...
Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 12.08.2017 às 14:08

Eu leio para me rir, mas também com uma curiosidade algo mórbida, numa tentativa, muitas frustrada, de tentar perceber o que move algumas mentes
Imagem de perfil

De P. P. a 13.08.2017 às 07:48

Totalmente de acordo.
Deixei de ler muitas delas pois, admito, ... sinto-me mal com tamanha maldade do ser humano. Prefiro abnegar o mundo desta gente.
Imagem de perfil

De Triptofano! a 13.08.2017 às 17:28

Antigamente havia caixa de comentários nas crónicas da Paula Cosme Pinto, a vida em saltos altos, e era incrível o ódio que ali se escrevia! Uma coisa é as pessoas terem opiniões e serem apaixonadas por elas, outra coisa é estarem-se literalmente a marimbar se o que escrevem vai ou não ofender os outros. Porque pode ser tudo muito virtual mas as palavras escritas magoam de uma forma bem real!
Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 14.08.2017 às 13:49

Quando escrevi o post estava, precisamente, a pensar nela e no Henrique Raposo, nomeadamente, no caos absolutamente instalado aquando da publicação de "Alentejo Prometido". Assusta-me, intriga-me e seduz-me, ao mesmo tempo e não necessariamente por esta ordem, a malícia e ardileza da mente humana, quase tanto quanto a sua sagacidade e lucidez. Com alguma ingenuidade, talvez, acho que se compreendermos melhor o mal, estamos mais preparados para o enfrentar. Mas tenho sempre muita dificuldade em entender aquela gente que insulta, pura e simplesmente, todos os que pensam de forma diferente.
Imagem de perfil

De Triptofano! a 14.08.2017 às 23:04

Eu nunca percebi foi o que ganham aqueles que insultam sem sequer ter uma opinião fundamentada e articulada!? É devido a algum complexo de inferioridade mal resolvido da sua infância?
Adorava perceber o ser humano mas creio que seria uma tarefa para me sugar anos de vida
Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 14.08.2017 às 23:51

Será sempre uma tarefa incompleta, sem a menor dúvida!
Imagem de perfil

De P. P. a 15.08.2017 às 10:11

E aquele ódio que destila só porque sim? Muitas vezes já evidente nos nicks utilizados. Tenho medo desta gente excessivamente infeliz.
Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 15.08.2017 às 11:40

Só podem ser excessivamente infelizes mesmo. Mas, às vezes, acho que é mais do que isso, é maldade pura.
Imagem de perfil

De Ventania a 15.08.2017 às 10:31

Ah, os trolls da internet... Deixem-me que vos diga que pelas alarvidades dos trolls se vai conhecendo um pouco mais do páis real que temos. Façam-no dum ponto de vista sociológico, para não se enervarem em demasia, e verão que aquilo que pensamos que só é possível acontecer nos Estados Unidos, por exemplo, afinal é bem mais comum por cá (e sim, estou a falar de racismo e xenofobia, por exemplo).
Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 15.08.2017 às 11:41

Concordo consigo.
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 15.08.2017 às 11:44

"...uma assustadora fatia de comentadores coléricos se diverte (imagino eu) a vomitar ódios e insultos contra tudo e contra todos, verdadeiros hooligans do vernáculo mais descarado e despropositado."

Penso que é uma forma gratuita e "eficaz" destas pessoas descarregarem as suas frustrações, a sua raiva, lendo ou não os artigos.
Aliás, algumas devem comentar os comentários sem lerem o assunto em questão.
Desisti de os ler porque magoa-me a linguagem usam.


Imagem de perfil

De O Triângulo Perfeito a 16.08.2017 às 14:41

Concordo na íntegra!
Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 15.08.2017 às 11:49

Sou tão básica nisto de "bloggar", ainda, que só agora percebi que o postamos pode ser "destacado" pela equipa do sapo (acho eu). Seja como for, este meu post foi destacado e fico feliz, porque significa que o nosso repúdio por este tipo de situações é a única "arma" eficaz contra este tipo de lixo. Obrigada.
Sem imagem de perfil

De Bailarina Da Lua a 15.08.2017 às 12:26

Olá !
Acho que muitas das pessoas que resolvem utilizar as caixas de comentários ,sentem uma necessidade tão grande de libertar as suas frustrações que acabam por estar ali a dar opiniões e a destilar ódios sem sentido,e que muitas vezes não têm nada a ver com o que está escrito ... Atenção que há aqueles que expressam a sua opinião, negativa ou positivamente , com cabeça , tronco e membros !

Parabéns pelo destaque
Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 16.08.2017 às 13:03

Também é verdade. Esses são os que se lêem com gosto.
Imagem de perfil

De O Triângulo Perfeito a 16.08.2017 às 14:41

Concordo com tudo que o que disse!
Imagem de perfil

De Luísa a 15.08.2017 às 13:26

Concordo completamente! Às vezes, ao ler determinados comentários, nem sei se ria, se chore... acabam por ser tão maus que são bons!
Imagem de perfil

De as rainhas <3 a 15.08.2017 às 18:03

Muito bom Post!!
As caixas na sua maioria das vezes, servem para embelezar paredes ou espaços públicos e também como muro das lamentações ...

Comentar post


Pág. 1/2



"Nada na vida dever ser temido, apenas compreendido." Marie Curie

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Eu Sou Assim

IDADE_Tem dias. ESTADO CIVIL_Muito bem casada. COR PREFERIDA_Cor de burro quando foge. O MEU MAIOR FEITO_O meu filho. O QUE SOU_Devo-o aos meus pais, que me ensinaram o que realmente importa. IRMÃOS_ Uma, que vale por muitas, e um sobrinho lindo. IMPORTANTE NA VIDA_ Saber vivê-la, junto dos amigos e da família. IMPRESCINDÍVEL NA BAGAGEM de FÉRIAS_Livros. SAÚDE_Um bem precioso. DINHEIRO_Para tratar com respeito.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

É só o que eu acho...

"A idade não traz só rugas e cabelos brancos." E, como digo ao meu filho, "Nem sempre, nem nunca."