Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Como Dixit?

por naomedeemouvidos, em 28.12.18

    Volto, então, ao Dixit. Não por publicidade. Não por publicidade ao jogo, pelo menos, mas aos bons momentos que proporciona.

    Deixo o rigor das regras para outros. Vou, apenas, dizer que o objectivo de cada narrador (nada mais do que um jogador na sua vez) deve descrever uma das cartas que possui em mão de forma a que algum dos outros jogadores a identifique, mas não todos, ou não ganhará qualquer ponto. Ou seja, subtil, e não explicitamente. Normalmente, à custa de uma frase curta, ou expressão. A seguir, cada um dos outros jogadores deve escolher, de entre as suas próprias cartas, aquela que mais se aproximar dessa descrição. E, muitas vezes, há várias que se adaptam, o que torna tudo mais interessante.

    Nos conjuntos que deixei, ontem, aqui, houve sempre alguém, mas não todos, a acertar na carta descrita pelo narrador; logo, cada narrador obteve a pontuação máxima.

    Vejam e comparem. E confirmem, se for o caso.

    O meu pai usou a expressão "vias de comunicação" para descrever esta carta:

Vias de Comunicação1.jpg

 

O meu filho usou "o principezinho" para descrever esta:

 

O principezinho1.jpg

 

O meu sobrinho, "a sofrer de depressão", para esta:

 

a sofrer de depressão1.jpg

 

E, a minha irmã, "enigma", para esta:

 

enigma1.jpg

 

Atrevam-se. E divirtam-se.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:47




“Nada na vida deve ser temido; apenas compreendido.” Marie Curie.

É só o que eu acho...

"A idade não traz só rugas e cabelos brancos." E, como digo ao meu filho, "Nem sempre, nem nunca."

Sou mulher, pelo que, metade(?) do mundo não me compreende. Tenho opinião sobre tudo e mais alguma coisa, pelo que, na maioria das vezes estou errada. E escrevo de acordo com a antiga ortografia, pelo que, não me dêem ouvidos...

Eu Sou Assim

Idade - Tem dias.

Estado Civil - Muito bem casada.

Cor preferida - Cor de burro quando foge.

O meu maior feito - O meu filho.

O que sou - Devo-o aos meus pais, que me ensinaram o que realmente importa.

Irmãos - Uma, que vale por muitas, e um sobrinho lindo.

Importante na vida - Saber vivê-la, junto dos amigos e da família.

Imprescindível na bagagem de férias - Livros.

Saúde - Um bem precioso.

Dinheiro - Para tratar com respeito.


Layout

Gaffe


Arquivo



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.