Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Direitos Humanos à la carte.

por naomedeemouvidos, em 26.07.19

Mafalda_Irresponsáveis.PNG

 

Mike Pompeo pretende criar, ou criou já, uma comissão para redefinir o que vem a ser isso, afinal, de “Direitos Humanos Inalienáveis”. Ou, que papel representam esses direitos na política externa americana.

Parece que, entre outras preocupações de Mike Pompeo, estão aquelas relacionadas com a boa ou má utilização da palavra direitos e com o sequestro da retórica alusiva a esses direitos quando aplicados, e aplicáveis, a humanos com malignos ou dúbios propósitos. Suponho que a lista dos que “descendem dos Direitos Universais do Homem decretados pela Grande Revolução Francesa de 1789” vá diminuir mais rapidamente do que nem a historiadora Bonifácio previa. Só não sei bem como passaremos a marcar os escolhidos... até porque é algo que nunca se fez antes.

publicado às 15:53


16 comentários

Imagem de perfil

De Gaffe a 26.07.2019 às 16:57

Mas creio que já os começaram a marcar.

Repara na tão falada "ideologia de género" que, antes de tudo o mais, não é ideologia, porque logo ali mesmo à partida, não tem ideólogos, não existe para alguns como ideologia.

"Niclas".

Não existe "ideologia de género".
No entanto existe uma onda de tolos que acham que é nociva e que se torna salvífico lutar contra uma coisa que não existe, mas que convém que o populacho acredite que sim e lhes dê votos.

Entretanto, não se protege quem se deve proteger.
Marca-se. Um bocadinho depois, "trata-se" deles.


Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 26.07.2019 às 18:03

Há sempre quem se empenhe em salvar o povo do género de coisas que possam ser inconstitucionalmente contagiosas ou contagiosamente inconstitucionais. Podem andar de mãos dadas e convém marcar para vigiar. Hoje "eles", amanhã quem sabe.

Comentar post



“Nada na vida deve ser temido; apenas compreendido.” Marie Curie.

Layout

Gaffe


naomedeemouvidos@gmail.com


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.