Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



José Saramago

por naomedeemouvidos, em 16.07.17

Leio (ou li, melhor dizendo) tudo, praticamente, de José Saramago. Desde os tempos do “Memorial Convento”, que não me custou assim tanto. Sempre achei fascinante como José Saramago consegue, conseguia, do aparente "nada" construir narrativas arrebatadoras.

O meu livro preferido é o “Ensaio Sobre a Cegueira”. E a “Caverna”. E “As Intermitências da Morte”. E “Caim”. E “O Evangelho Segundo Jesus Cristo”, cuja leitura tive que reiniciar umas quantas vezes até me entender com as “Marias”. E “A Jangada de Pedra”. E "Todos os Nomes". E…esses todos também!

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Imagem de perfil

De Bruxa Mimi a 30.09.2017 às 20:39

O único livro de José Saramago que li na totalidade foi "A maior flor do mundo". O "Memorial do Convento" ficou a 1/3 de acabar: li 1/3 quando comecei, o segundo terço alguns anos depois (lembrava-me em que parte tinha ficado!) e desde essa altura já passaram muitos anos. Relativamente aos outros livros de José Saramago, não cheguei a experimentar.

Comentar post



"Nada na vida dever ser temido, apenas compreendido." Marie Curie

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Eu Sou Assim

IDADE_Tem dias. ESTADO CIVIL_Muito bem casada. COR PREFERIDA_Cor de burro quando foge. O MEU MAIOR FEITO_O meu filho. O QUE SOU_Devo-o aos meus pais, que me ensinaram o que realmente importa. IRMÃOS_ Uma, que vale por muitas, e um sobrinho lindo. IMPORTANTE NA VIDA_ Saber vivê-la, junto dos amigos e da família. IMPRESCINDÍVEL NA BAGAGEM de FÉRIAS_Livros. SAÚDE_Um bem precioso. DINHEIRO_Para tratar com respeito.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

É só o que eu acho...

"A idade não traz só rugas e cabelos brancos." E, como digo ao meu filho, "Nem sempre, nem nunca."