Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

naomedeemouvidos

Sou mulher, pelo que, metade(?) do mundo não me compreende. Tenho opinião sobre tudo e mais alguma coisa, pelo que, na maioria das vezes estou errada. E escrevo de acordo com a antiga ortografia, pelo que, não me dêem ouvidos..

Sou mulher, pelo que, metade(?) do mundo não me compreende. Tenho opinião sobre tudo e mais alguma coisa, pelo que, na maioria das vezes estou errada. E escrevo de acordo com a antiga ortografia, pelo que, não me dêem ouvidos..

Mais um caso, nada raríssimo...

Rendi-me ao título do dia.  Mais um caso, nada raríssimo, a mostrar que Portugal, na sua essência, continua igual a si próprio. Bem podemos babar-nos (e bem!) com o reconhecimento da nossa hospitalidade (calorosa!), da nossa gastronomia (divina!), dos nossos vinhos (soberbos!), do nosso património imaterial (um PARABÉNS enorme para os artesãos de Estremoz mais os seus deliciosos bonecos), etc, que a imagem de marca do chico-espertismo no seu pior, não desloca. É a nódoa no melhor pano que nos envergonha até à náusea.

Não me vou alongar em grandes indignidades ou acusações contra a senhora-dona-excelentíssima-reverendíssima-(não sei se)-doutora/engenheira Paula Brito e Costa (colocar-me-ia de pé, se a senhora estivesse a olhar). Basta ver o trabalho da jornalista Ana Leal para perceber que, às vezes, o mote é “culpado até prova em contrário”, porque inocentes só mesmo aqueles, parvos!, que vivem sem favores do Estado e a quem o Estado espreme até ao osso quando o dinheiro escasseia e a crise bate à porta. Outra vez.

Mesmo assim, há uma indignação que é devida. Como sempre, salvo as honrosas excepções dos que deram a cara para denunciar os abusos, a maioria daqueles que conviviam de perto com as extravagâncias de sua Alteza Paula Brito e Costa, nunca desconfiaram de nada, nunca viram nada, nunca souberam de nada. Caramba! Eu devia ter direito a receber um prémio Nobel pela minha elevada inteligência, pois estou, claramente, acima da média dos meus compatriotas da pseudo-elite intelectual e capaz de desempenhar cargos de responsabilidade.

A saber, entre os que não sabiam, e só para dar alguns exemplos, o actual secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado que recebeu uma avença de três mil euros mensais da Raríssima, a partir de 2013; a deputada do PS Sónia Fertuzinhos que viajou a trabalho, para a Suécia, a expensas da Raríssimas, viagem essa que, posteriormente, foi paga à associação (o que é sempre curioso); o antigo vice-presidente da assembleia geral da Raríssimas, nada mais, nada menos que o actual ministro da Segurança Social, Vieira da Silva que também é (Portugal é um ovo…de codorniz!) marido da Sónia Fertuzinhos! Pode ainda não ter queimado, mas que cheira a esturro, lá isso cheira.

Como sempre, indignações ensaiadas sucedem-se quando os “escândalos” saltam para a praça pública e as investigações iniciam-se ao ritmo das notícia e dos “likes” e “unlikes” das redes sociais, porque, até lá, raramente alguém sabe de alguma coisa…

“Nada na vida deve ser temido; apenas compreendido.” Marie Curie.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Eu Sou Assim

IDADE_Tem dias. ESTADO CIVIL_Muito bem casada. COR PREFERIDA_Cor de burro quando foge. O MEU MAIOR FEITO_O meu filho. O QUE SOU_Devo-o aos meus pais, que me ensinaram o que realmente importa. IRMÃOS_ Uma, que vale por muitas, e um sobrinho lindo. IMPORTANTE NA VIDA_ Saber vivê-la, junto dos amigos e da família. IMPRESCINDÍVEL NA BAGAGEM de FÉRIAS_Livros. SAÚDE_Um bem precioso. DINHEIRO_Para tratar com respeito.

É só o que eu acho...

"A idade não traz só rugas e cabelos brancos." E, como digo ao meu filho, "Nem sempre, nem nunca."