Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A profecia (fim).

por naomedeemouvidos, em 03.01.19

    O homem de branco vai subindo a colina envolta em chamas negras de morte. Enquanto caminha, em pesarosa e digna penitência, arrasta, no seu enlaço, outros mártires em resignada aflição, calados que são, agora, os que jazem tombados em agonia. Impelido a ascender ao topo da colina por entre os corpos dilacerados, o homem caminha em direcção à imponente cruz, para aí se prostar, ajoelhado, sob os impiedosos braços abertos em desgraça. Nunca foi amado pelos seus pares. Foi chamado de herege por apelar à conciliação entre os povos e por perdoar os pecadores, os mesmos que outros, antes de si, repudiaram e renegaram. Não era por isso que sofria. Sabia, aliás, desde o princípio, a sorte que o esperava. Entregara-se à vontade de Deus que, finalmente, o reclamava, tal como o avisara a última dos pastorinhos.

    No céu, nuvens enfurecidas formavam cavalos negros, outros, vermelhos, cujas crinas compunham um manto espesso, sacudindo as estrelas, que caíam sobre as sete colinas, como bolas de fogo ardente. A lua avermelhou. Uma mancha de sangue espesso e fedorento que engoliu uma parte do Sol, enquanto, das entranhas da Terra, se abria um imenso abismo e dele emanando o calor de uma fornalha infernal e inclemente. Os cavalos, no ar enegrecido e putrefacto, multiplicavam-se e espalhavam-se em todas as direcções, como gafanhotos, exalando fumo, fogo e enxofre.

    No cimo do monte, o homem de branco vai rezando pelas almas dos mortos e dos ainda vivos. Jaz, no chão, caído debaixo da Cruz, de joelhos prostrado sob a espada empunhada, em chamas, pela mão esquerda do anjo que comanda o exército divino, soldados armados de setas e balas que disparam, uns atrás de outros, certeiros e sem piedade. Quando todos sucumbem, enfim, os anjos recolhem o sangue dos mártires, embalados ao som das trombetas. No seu ventre, a terra acalma-se e o céu ilumina-se e abre-se, como as páginas de um livro.

    Tão precipitadamente como se destapou, num tremendo terramoto, fecha-se o abismo, para sempre selado, aprisionando as almas dos pecadores para a agonia eterna.

 

    Na pequena Capela, o artesão contempla, saciado, a sua obra, ainda pura, Cristo de pé, chamando os eleitos, rodeado dos apóstolos, dos mártires, das virgens, dos anjos, dos homens. Já não ouve as cornetas dos anjos, enquanto o barqueiro empurra as miseráveis almas condenadas ao fogo eterno. Por trás, um maravilho céu lápis-lazúli renasce, agora, das cinzas, agraciando o mestre.

publicado às 11:33



“Nada na vida deve ser temido; apenas compreendido.” Marie Curie.

É só o que eu acho...

"A idade não traz só rugas e cabelos brancos." E, como digo ao meu filho, "Nem sempre, nem nunca."

Sou mulher, pelo que, metade(?) do mundo não me compreende. Tenho opinião sobre tudo e mais alguma coisa, pelo que, na maioria das vezes estou errada. E escrevo de acordo com a antiga ortografia, pelo que, não me dêem ouvidos...

Eu Sou Assim

Idade - Tem dias.

Estado Civil - Muito bem casada.

Cor preferida - Cor de burro quando foge.

O meu maior feito - O meu filho.

O que sou - Devo-o aos meus pais, que me ensinaram o que realmente importa.

Irmãos - Uma, que vale por muitas, e um sobrinho lindo.

Importante na vida - Saber vivê-la, junto dos amigos e da família.

Imprescindível na bagagem de férias - Livros.

Saúde - Um bem precioso.

Dinheiro - Para tratar com respeito.


Layout

Gaffe


Arquivo



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.