Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Simbioses.

por naomedeemouvidos, em 18.07.19

Marcelo vai sentir saudades da actual composição do Parlamento e, seguramente, o actual Parlamento sentirá saudades do Presidente da República. Deste, pelo menos. É capaz de se tratar de um caso de simbiose mais-que-perfeita porque competentemente, brilhantemente, recíproca, coisa que nem sempre acontecerá no restante mundo animal, onde, segundo julgo saber (o que é sempre um perigo), os dois bichos poderão não desfrutar da coisa com o mesmo prazer. Pode dar-se o caso, também, de não serem ambos bichos, não necessariamente, o que, para o caso, continuará sem interesse nenhum.

É possível que as saudades do Presidente não cheguem, no entanto, para matar ou morrer. As eleições já estão à porta, o povo já está a banhos, os de ética, lavou-os o rio, e Cristas, aparentemente, precisa de ajuda até para mudar de penteado. Em caso de necessidade, António Costa já mostrou que é capaz de comer até o pan que o diabo, que não veio, não precisou de amansar ainda, de modo que, se Marcelo quiser, a próxima legislatura poderá voltar a ser uma bela história da carochinha. Inédita, romântica, eventualmente trôpega, mas já estávamos - e estamos - habituados e assim continuaremos. Somos os melhores.

 

Entretanto, foi ontem aprovado por unanimidade o relatório final da comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos. Não será exactamente este, mas, não encontrei a versão actualizada.

Entre as conclusões a que parecem ter chegado os deputados estão o falhanço da supervisão por parte do Banco de Portugal, a imprudência na gestão na CGD, a existência de um grupo de poder que reproduziu um padrão de encobrimento mútuo e, claro, papel relevante da crise financeira internacional. É sempre um alívio poder contar com boas causas, incontornáveis, úteis e adequadas, capazes de salvar a salvar a face bonacheirona e abonada das nossas elites da banca, da alta finança e da política.

Deus criou o mundo, e nós encarregamo-nos de criar o resto.

publicado às 19:28

A hipocrisia, e o asco, das comissões de inquérito.

por naomedeemouvidos, em 30.01.19

Parece que vai haver uma nova comissão parlamentar de inquérito. Aos actos de gestão da CGD. O CDS propõe, o PDS, também, e, parece, também, que o PS aprova. É provável que os outros partidos também venham a aprovar, ou a propor, uma comissão parlamentar, em nome próprio ou a reboque. A pergunta que se impõe é: para quê? Imagino que seja para o que costumam servir as nossas tão cerimoniosas comissões parlamentares de inquérito, salvo algumas (poucas), excepções: para fingir, essencialmente. Fingir indignação, fingir desconhecimento, fingir espanto, fingir responsabilidade, fingir vontade de fazer diferente e melhor. Os inquiridos vão lá fingir que são amnésicos, incapazes, incompetentes ou ignorantes - nunca, claro, no que que toca aos seus prejuízos pessoais, esses sempre salvaguardados - e os inquiridores, a maioria, vão lá fingir que cumprem a sua função, simular o ultraje. No fim, fingimos nós todos, que não temos nada a ver com aquilo e não nos metemos em política. É um permanente faz-de-conta, mas sem final feliz.

 

Já é escandalosamente evidente que a CGD serviu de porquinho mealheiro para um bando (não é força de expressão e, sim, no sentido pior do termo) de gente que mais não sabe do que viver de estrelato pífio, compadrios, favores e corrupção. Esse tipo de corrupção que tanto indignou Augusto Santos Silva, por ameaçar aparecer em destaque no relatório da OCDE que há-de sair em Fevereiro ou Março. Até lá, vamos continuar a fingir que, em Portugal, só há "políticas erradas" e "falta de meios". É uma estrondosa mentira. O que há é muitas mãos a segurar outras tantas. Ninguém quer tirar a sua.

publicado às 12:33



“Nada na vida deve ser temido; apenas compreendido.” Marie Curie.

É só o que eu acho...

"A idade não traz só rugas e cabelos brancos." E, como digo ao meu filho, "Nem sempre, nem nunca."

Sou mulher, pelo que, metade(?) do mundo não me compreende. Tenho opinião sobre tudo e mais alguma coisa, pelo que, na maioria das vezes estou errada. E escrevo de acordo com a antiga ortografia, pelo que, não me dêem ouvidos...

Eu Sou Assim

Idade - Tem dias.

Estado Civil - Muito bem casada.

Cor preferida - Cor de burro quando foge.

O meu maior feito - O meu filho.

O que sou - Devo-o aos meus pais, que me ensinaram o que realmente importa.

Irmãos - Uma, que vale por muitas, e um sobrinho lindo.

Importante na vida - Saber vivê-la, junto dos amigos e da família.

Imprescindível na bagagem de férias - Livros.

Saúde - Um bem precioso.

Dinheiro - Para tratar com respeito.


Layout

Gaffe


Arquivo



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.