Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Voltem!, estão todos perdoados...

por naomedeemouvidos, em 13.09.17

Tenho a mania que percebo de política e de políticos. É mais um daqueles temas sobre os quais tenho opinião, porque também tenho opinião sobre tudo, como sabem todos os que me conhecem. De modo que, quando estamos a ver e a ouvir notícias e eu começo a disparar em todas as direcções, o meu filho pergunta-me muitas vezes, Mamã, gostas daquele(a) senhor(a)?, ou, Mamã, achas que aquele(a) senhor(a) é sério(a)/competente/etc?

Vem isto a propósito de mais uma notícia sobre mais um autarca que, mais uma vez, não declarou ou não actualizou o que devia ter declarado ou actualizado.

Eu não sei como é que esta gente faz! Eu, por duas vezes, esqueci-me (mas esqueci-me mesmo, sublinho) de cumprir, a tempo e horas, com duas obrigações fiscais. Em ambos os casos, os esquecimentos saíram-me caro: quase 200 euros por ter entregue uma declaração de IVA fora do prazo e, não me lembro quanto, mas bastante menos, porque me atrasei um dia (um dia!) a pagar o IUC.

Parece que os “esquecimentos” para com o fisco (e para com a segurança social) só têm custos para alguns.

Eu não sei se Fernando Medina foi esquecido, negligente, pouco sério ou se, pelo contrário, fez tudo como devia. Só sei que me envergonha ver a complacência com que Portugal, na forma dos seus governantes e não só (afinal, somos “nós”, povo, que os escolhemos) encara a falta de despudor dos seus representantes. E envergonha-me que, da esquerda à direita, a falta de seriedade de quem ocupa cargos políticos, a falta de respeito pelas instituições, a leviandade com que se usufrui de dinheiros públicos, carregue ao colo, de bandeja, todos os “Isaltinos” deste país. Como se estivéssemos condenados a escolher apenas entre aqueles que subtraem só a seu favor e os que, espoliando-nos igualmente, ainda vão fazendo qualquer coisa pelos “outros”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:29


3 comentários

Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 13.09.2017 às 09:39

Enquanto reinar a sensação de impunidade (uma das imagens de marca nacionais) e a aceitação da corrupção (outra das imagens de marca) estas coisas não vão deixar de existir... Da Vinci dizia que "quem não condena o mal, ordena que o mesmo se faça" e a justiça é a representante do povo, e o povo tem cidadania para existir justiça... Se nada faz, é porque pactua com... Quando elegemos corruptos para uma câmara municipal estamos a assinar por baixo que também o somos... E há muita gente que vive feliz com isso, porque também o pratica no dia-a-dia e exigir que alguém seja punido por corrupção exige uma integridade que poucos vão tendo...

Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 13.09.2017 às 10:08

É verdade. Como se a nossa complacência com a "vigarice" nos absolvesse e nos desse o consentimento para prevaricar, também. E como é que combatemos isto, quando os que querem fazer melhor são uns "otários"? Pior, quando tens, à tua responsabilidade um ser pequenino que te questiona diariamente e te tem como referência (ou, pelo menos, uma das mais importante) e exemplo e que cresce com os valores que tu lhe tentas transmitir? Quando exigimos às nossas crianças um comportamento que elas não vêm valorizado? Estamos a prepará-los bem para a vida, ou devíamos ensiná-los a ser mais "cínicos" e a ter "jogo de cintura"? Debato-me muito com estas questões... deve estar mesmo a ficar velha
Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 13.09.2017 às 10:10

(no comentário acima, queria escrever "vêem")

Comentar:

CorretorEmoji

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.




“Nada na vida deve ser temido; apenas compreendido.” Marie Curie.

É só o que eu acho...

"A idade não traz só rugas e cabelos brancos." E, como digo ao meu filho, "Nem sempre, nem nunca."

Sou mulher, pelo que, metade(?) do mundo não me compreende. Tenho opinião sobre tudo e mais alguma coisa, pelo que, na maioria das vezes estou errada. E escrevo de acordo com a antiga ortografia, pelo que, não me dêem ouvidos...

Eu Sou Assim

Idade - Tem dias.

Estado Civil - Muito bem casada.

Cor preferida - Cor de burro quando foge.

O meu maior feito - O meu filho.

O que sou - Devo-o aos meus pais, que me ensinaram o que realmente importa.

Irmãos - Uma, que vale por muitas, e um sobrinho lindo.

Importante na vida - Saber vivê-la, junto dos amigos e da família.

Imprescindível na bagagem de férias - Livros.

Saúde - Um bem precioso.

Dinheiro - Para tratar com respeito.


Layout

Gaffe


Arquivo



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.